4 de setembro de 2016

Trilogia Cinquenta tons de Cinza


A história de Grey e Anna


Demorei muito tempo para me render a curiosidade de ler a trilogia Cinquenta tons de Cinza, ouvi diversos comentários e a própria mídia falou de mais sobre o assunto...


Porém só fui ler depois de algum tempo, posso dizer que gostei da historia de Christian Grey e Anastasia Steele e não foi pelas preferências sexuais do Grey, mas pela forma que a autora os descreveu de forma tão nítida e os traumas vivido pelo personagem.

A historia de Grey, sua infância traumática e tudo que viveu até chegar a ser um homem obsessivo por controle e com gostos sexuais peculiares me fez refletir sobre o fato, de muitas experiências na infância serem fortes influenciadores na vida adulta de um indivíduo. 

É estranho ter esse tipo de reflexão de um livro que claramente não tem esse intuito, no entanto foi uma das reações que me causou, ressaltando que os fetiches dele para mim não tem necessariamente a ver com os traumas, já que muitos personagens da vida real também são fãs desse tipo de prática e não apresentam relatos de violência na infância ou algo do tipo.

Sobre a questão erótica, confesso que algumas práticas do casal me deu curiosidade e sim, pesquisei para saber do que se tratava (afinal não entendia nada sobre esse universo de dominante e submissa).

Muitas coisas não me cativaram principalmente depois que descobria do que se tratava, na verdade seja nos livros eróticos ou ate mesmo romance de banca, sempre vejo um certo exagero nas sensações e reações dos casais na intimidade , é claro que os livros são uma forma de sair da realidade e nos fazer entrar no universo dos personagens, mas sinceramente fico pensando se determinadas coisas são possíveis. 

Mesmo assim os relatos de algumas práticas do casal é bem descrito e para apimentar o relacionamento tem bastante coisas interessantes e diferentes do habitual, mas tudo é uma questão de gosto, para quem curte uma pegada BDSM ou pra quem quer se aventurar e não conhece sobre o assunto, o livro traz muitas experiências do tipo e mesmo que você não saiba o que é com certeza terá a curiosidade de pesquisar (como eu haha).

Enfim, cinquenta tons de cinza e suas sequências me fizeram ler com voracidade e em pouco tempo já tinha lido os três, é um livro que indico pela história em si, pela forma como foi desenvolvida o romance e também pelo crescimento do personagem da Anna e de Grey, ela de tímida e até sem graça foi ganhando confiança aos poucos até mostrar que era o alicerce do casal e Grey por sua vez foi aprendendo a se entregar de verdade e a conhecer as dificuldades e delicias de um amor verdadeiro.

Com certeza ficou marcado pra mim e quando tiver um tempo está na minha lista de livros, para se ler uma segunda vez.

Você pode ler online os livros:
Cinquenta tons de cinza
Cinquenta tons mais escuros
Cinquenta tons de Liberdade


Obs: Existe disponível também a trilogia na versão de Christian Grey que é muito legal, pois nos mostra a história sobre a perspectiva dele, já que na trilogia original é descrito por Anastacia. 

Gostei demais dessa versão também, achei muito interessante, até mais do que o original, talvez porque Grey causa mais curiosidade que Anna,  vale a pena conferir.

Cinquenta tons de cinza versão Christian Grey


Até a próxima ; )


Cheia de manias, grata a Deus por todas as bençãos e pela dádiva da vida, feliz com meu esposo e família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam por moderação, assim que aprovado estará visível. Obrigado por comentar!! Isso me deixa muito feliz, seja sempre bem vindo!!